80/20: O princípio dos negóciosWelcome to the HomeStyle shop!

80/20: O princípio dos negócios

Quando o assunto é foco e produtividade, ao mesmo tempo que todo mundo tem um conselho para ajudar a melhorar o desempenho, estamos todos sempre com dificuldades de colocá-los em prática. O ciclo dos dias nunca parece ser suficiente, os resultados poderiam ser melhores, a lista de tarefas cresce o tempo todo ao passo que os esforços investidos continuam os mesmos ou até maiores!

A real é que essa preocupação não é das mais modernas, já que em 1906 Vilfredo Pareto resolveu estudar a proporção do resultado de alguns eventos da época, que deu origem à publicação de um artigo que definia o famoso Princípio de Pareto ou Princípio 80/20. Este princípio passou a nortear as relações da porcentagem de 80% das consequências derivadas de 20% das causas. Quer saber como essa premissa pode te ajudar a ser mais produtivo e ter mais foco nos resultados? Veja alguns exemplos:

1. 20% DOS ESFORÇOS DE MARKETING REPRESENTAM 80% DOS RESULTADOS

As possibilidades de investimento em marketing e divulgação são imensas, principalmente na Era Digital. O “pulo do gato” é a estratégia de coleta e análise de dados (ou métricas) que definem os parâmetros para definir o que funciona ou não para o seu negócio. Assim, de forma fundamentada, se torna mais certeiro identificar os esforços que surtiram mais efeito e finalmente delinear um plano de ação focado nos 20% que realmente funcionam.

2. 80% DAS VENDAS VÊM DE 20% DOS CLIENTES

Seja na prestação de serviços ou negociação de produtos, existe uma compatibilidade com alguns clientes, isso é claro no relacionamento direto mas também nos números. O Princípio 80/20 sugere que um quinto dos clientes correspondem a 80% das suas vendas e isso quer dizer que além da questão da fidelidade, isso também pode dizer algo sobre as estratégias bem sucedidas. Olhar para estes clientes como modelos de persona pode te ajudar a criar mais afinidades no processo de venda com os demais, aplicando ações para potencializar as conversões em mais clientes.

3.  A REGRA TEM QUE FUNCIONAR PRIMEIRO PARA VOCÊ

Agora vamos trazer o conceito para o contexto mais pessoal de produtividade. Considere a sua lista de tarefas: provavelmente ela está sempre cheia e você nunca sabe por onde começar, não é? E se te contarmos que 20% das suas ações correspondem a 80% do trabalho qualificado que você desempenha? Ainda é difícil de enxergar?
Considere os processos e a relevância dos resultados ou poder de efeito de cada tarefa – é impossível que tenham todas o mesmo peso e muitas vezes o simples fato de priorizar pode mudar todo o jogo! Complemente sua lista de tarefas atribuindo a cada uma delas uma nota de prioridade para que seja possível identificá-las e tratá-las como preferenciais nos momentos de atenção plena. Depois nos conte como isso melhorou sua performance.

Mesmo não sendo uma proporção exata, se você analisar vai perceber que, assim como em eventos naturais, o nosso comportamento e suas consequências muitas vezes seguem um padrão. Sai na frente quem para, olha e analisa os resultados e recalcula a sua rota para dar continuidade ao que já funciona no mesmo passo em que modifica ações para aperfeiçoar os desfechos.

Stéfany Freu

Fonte da Imagem: Pixabay