Bom design é bom negócioWelcome to the HomeStyle shop!

Bom design é bom negócio

“Bom design é bom negócio” já dizia Thomas J. Watson Jr. durante uma palestra em 1973,  na Universidade da Pensilvânia. Watson Jr., pra quem não sabe, foi presidente e diretor executivo da IBM durante o seu período de maior evolução.

Desde que Watson Jr. herdou a empresa do pai, que até então mantinha um estilo mais conservador, a IBM assumiu a importância estratégica do design nos negócios.

O método do design é como você organiza equipes multidisciplinares, como você explora a tecnologia ou quais práticas e processos você pode aplicar. Essas coisas, tão naturais como a respiração para um designer, não são usadas ​​regularmente nos negócios.” – Nick de Leon, 2007.

Sendo bem literal, a função do designer sempre foi criar soluções. E o mercado atual está cada vez mais em busca de profissionais completos para auxiliar nessa função, tanto que a terminologia da função hoje em dia é UX Design, ou seja, um profissional multidisciplinar, que entende um pouco de tudo deste universo.

Na minha época, a gente escolhia o curso de acordo com a área de atuação: ou era design gráfico, ou era design digital, de games, design industrial, web designer e por aí vai. Hoje não. Resultado de um mercado em constante crescimento e que está bem preocupado em incluir o design como estratégia, integrado às ações de comunicação e marketing.

Além do aumento da contratação de profissionais dessa área, grandes consultorias estão comprando agências de design para incorporá-las totalmente em suas estratégias mais agressivas. Novidade para alguns, mas não pra mim, que, como designer de formação (sou designer gráfica e digital) sempre acreditei no design como diferencial estratégico para sair a frente.

Não entendeu nada?! Então vou listar algumas ações que devem ter uma atenção especial da sua marca:

1. SEJA VISTO

Como as pessoas chegam até a sua marca? Quando elas tem um problema e precisam de uma solução, elas encontram facilmente a sua empresa como uma das primeiras opções? Se a resposta for não, você precisa melhorar o SEO do seu site.

2. SEJA REFERÊNCIA

Sua empresa tem um bom site, de fácil navegação e pode ser facilmente encontrado pelos mecanismos de busca? Novamente, se a resposta for não, você além de precisar urgentemente melhorar seu SEO, precisa produzir conteúdo relevante e de qualidade, que respondam questões e dúvidas de seus futuros clientes.

3. SEJA LEMBRADO

Só é lembrado quem atende às necessidades do cliente e principalmente, desenvolve um bom trabalho através de uma experiência única. Se sua marca oferece as mesmas opções que seu concorrente, porque um cliente optaria por ela?

A resposta é simples, ofereça a melhor experiência que você puder pra ele. E isso só será possível se você se preocupar com a sua entrega, em tudo, desde a experiência ao encontrar a sua empresa, até o atendimento na sua loja (física ou virtual) e a entrega do produto (poucas marcas se preocupam com a embalagem, por exemplo).

Se preocupar com a experiência completa do cliente deveria ser premissa de todas as empresas. A decisão de compra começa já na busca e se a sua empresa não está preocupada em oferecer a melhor maneira de ser encontrada, já começa perdendo. A experiência de marca vai muito além do que só o produto/serviço em si. Kotler já nos ensinou, lá atrás, que não basta mais simplesmente satisfazer os clientes, precisamos encantá-los.

Cada vez mais os clientes estão associando a marca não com a mensagem, mas com toda a experiência que cerca o produto ou o serviço. – Bryan Eisenberg

E pra surpreender, não adianta, não tem fórmula mágica. É uma junção de fatores. É preciso consumir conteúdo diferente e vivenciar outras culturas. É preciso ser pioneiro e para isso, é necessário ser reconhecido como autoridade no seu segmento. E é muito importante apresentar a sua marca com um design coerente e impecável, em todas as áreas.

Suellen Gargantini, CEO da Agência SugarLab Digital

Fonte da Imagem: Shutterstock